Home / Revista / Edição do Mês / Destaques da Edição do Mês / A forma correta de emendar cabos condutores de sinais elétricos

A forma correta de emendar cabos condutores de sinais elétricos

Por mais que hoje tenhamos disponíveis, em nosso mercado de sonorização e automação, vários sistemas plug and play e conectores diversos que facilitam nosso dia-a-dia, mesmo assim ainda não conseguimos banir a famosa emenda de cabos do nosso cotidiano.

Daí que surgiu a ideia desta matéria sobre como emendar corretamente cabos entre si ou mesmo fazer “sangrias” para ligar outros fios como, exemplo, na instalação alarmes em geral.

Basicamente, existem três tipos de emendas de cabos condutores de sinais elétricos que podem ser efetuadas com segurança desde que se siga corretamente os procedimentos para a sua construção.

São elas: rabo de rato, prolongamento e emenda de derivação. Cada qual depende do tipo de aplicação do cabo, da finalidade da emenda e do ambiente em que a instalação ficará imersa.

Instalação-capa

Emenda de Derivação

Um dos tipos de emenda mais usada em nosso dia-a-dia para instalações de módulos de automação e alarmes, a emenda de derivação começa com o processo de desencapar, ou “sangrar”, o fio original do veículo com um alicate de corte ou do tipo decapador.

Esta ligação mantém a originalidade elétrica do veículo pois não necessita que se corte ou interrompa nenhum cabo a ser ligado:apenas fazemos a “sangria”, ou seja, o desencapamento da camada isolante que envolve a malha condutiva.

Este tipo de emenda de cabos condutores elétricos é aplicado quando existe a necessidade de se criar ramais ou duplicações de alimentação em uma linha que já está em uso. Conhecemos e utilizamos conectores de derivação, mas infelizmente eles ainda são pouco difundidos e utilizados em nosso segmento.

Utilize o alicate decapador e retire uma boa extensão (cerca de 20 vezes a bitola) do fio principal, por exemplo, o do veículo. Faça o mesmo no fio derivado, por exemplo, o cabo do acessório a ser instalado (neste caso, retire mais ou menos 50 vezes a bitola).

Coloque os dois fios perpendiculares um ao outro, segurando-os com firmeza com o alicate universal e, na sequência, enrole um condutor no outro até formar no mínimo seis espiras. Neste caso é imprescindível o uso de solda de estanho para maior condutividade e menor resistência da ramificação criada com a derivação dos cabos.

Como nos outros exemplos, finalize a operação recobrindo a emenda com fita isolante ou fita de alta fusão. Acompanhe o passo-a-passo abaixo:

Emenda Rabo de Rato

Indicada para cabos da mesma bitola que necessitam de força motriz ou tração para passagem por condutores como, por exemplo: cabos de alimentação principal em geral que precisem ser duplicados ou ramificados.

Este tipo de emenda começa com a retirada de dois a três centímetros (depende da área de secção transversal do cabo – quanto maior a bitola maior a retirada) das capas que envolvem os fios que serão unidos. Em seguida, utilize alicates do tipo universal, caso necessário, para a junção dos cabos a serem unidos e comece a torcer e envolver um no outro.

Tenha cautela e cuidado para garantir uma torção perfeita dos dois condutores e, assim, evitar folga entre os cabos da junção. Uma variação que aplicamos neste tipo de emenda é a torção final entre o próprio eixo do cabo para maior segurança e força de tração.

Para este tipo de emenda é aconselhável o uso de solda de estanho para melhor condutividade, caso a bitola do fio seja superior a 1,0 mm. Por fim, cubra esta área de interseção dos fios desencapados com pelo menos sete camadas de fita isolante ou fita de alta fusão. Acompanhe o passo-a- passo a seguir:

Emenda de Prolongamento

É muito pouco utilizada em nosso segmento automotivo, mas vale a pena registrar para conhecimento. Este tipo de emenda é utilizado para prolongar o comprimento de cabos de condução elétrica com bitolas inferiores a 1,5mm. Começa com o processo de desencapar os fios com um alicate de corte ou decapador.

É recomendável retirar uma boa área de capa em cada um dos fios para garantir menor resistência durante a passagem da energia. Depois, una os dois fios com alicate do tipo universal, caso necessite, mantendo-os num ângulo de 180 graus um com o outro enquanto realiza sua torção.

Finalize com fita isolante ou fita de alta fusão. Dependendo da necessidade e utilização, aconselha-se soldar os cabos com solda de estanho. Acompanhe o passo-a-passo abaixo e boas instalações!

 

Por: Serginho e Bila; projetistas de áudio da Stop Car Áudio Design

intense_content_box background=”primary” rtl=”0″] Matéria publicada originalmente na revista AutoMOTIVO, a publicação B2B do mercado brasileiro de som e acessórios automotivos [/intense_content_box]

Comente esta matéria

Fique tranquilo: o seu endereço de e-mail é apenas para controle interno e não será publicado. Os campos marcados são de preenchimento obrigatório! *

*

Voltar ao topo